2013,  Textos

Por um fio

Você me fez assumir os seus erros, me desculpar pelos meus sorrisos, sustestar seus sonhos, ser o escape de sua imaginação, se apoiou na minha felicidade e se contentou com a vista do seu novo trono de poder, além de subir até ele, você me afastava de minhas próprias conquistas.

Eu alimentava carinho, chances, confiança, e quanto mais você pudesse destruir, o que recém-nascia, mais feliz você ficava. Eu admirava você pois associei seus atos e os adotei para mim, eu era maravilhada pelo o que você fazia e como, até em um momento você comentar que nunca foi algo que você realmente quisesesse, e que você já estava exausto de tentar compreender o pensamento humano e que odiava interpretar sonhos.

Eu me reconheci em sua casa, eu passava pelos corredores acarinciando as paredes e andando com a cabeça complacente ao ambiente como se recebesse uma brisa fresca diretamente no rosto, do jeito que a gente gosta,

Mas você só sabia falar da bagunça, da escuridão, da arquitetura torta e das esquisistisses da fiação, da luz que sempre acabava, enquanto eu guardei um sofrimento pela possível perda, você parecia aliviado. Mas não foi igorância minha, foi ingenuidade

Eu senti a sua dor e captei para mim, mas você não enganou só a mim, e sim a si mesmo, você mais ingênuo e vítima, e pior que eu para você, você de si mesmo.

Eu fui sensível o suficiente para ver que não é questão de você ser uma fraude, mas de você ser fraco.

E assim como você se preserva para maus momentos, você desconhece as felicidades de um bom momento pois também se segura para eles.

Por um tempo, pensei que você se aproveitava e me zombava, mas você sofre pelos seus próprios atos mais do que eu sofro pelos meus e influência dos teus.

E por mais que me sentisse enganada, saber que você se compromete, alivia tudo sobre mim, e eu não sou mais a idiota da história.

Antes de pena por mim,

agora eu tenho por você.

(você fingiu na hora que se importava, ou você só passou a fingir agora de que não se importa?)

(houve uma considerável troca de pessoas agora)

 

Isadora Mello (2013)

Créditos da Imagem: Weheartit

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *