2011,  Textos

Tempestade

Pensei que seria mais fácil, estas tempestades de pensamentos correm fogosas, se você não as captura logo, bem rápido elas zarpam para outro canto.

Não há retorno ou segunda chance, duas coisas podem acontecer, continuar selecionando e ver que nenhuma será boa como a que você perdeu ou ficar contente em ter arriscado, e agora, a outra corrente ser melhor.

Eu não estou sabendo usar meu depósito e meu tempo direito, estou nos extremos e o equilíbrio com sua perfeição tão distantes, ri dos meus oito e oitentas de cabeça para baixo.

Ou eu não tenho nada ou eu tenho tanto que nem consigo suprir a demanda.

Apesar de eu gostar mais do lado que é tão grande que mal lhe cabe espaço, saber que não consegui completar continuar, terminar, me destrói.

A única coisa que realmente sei é que com tudo ou com nada, a vontade de escrever grita do fundo da minha garganta

E por menos que pareça, o que liga essas palavras para o mundo real é muito mais complexo que uma caneta conectando.

São as vivências que vão implantar adjetivos e substantivos capazes de retratar exatamente o que me dizem.

Pois há uma diferença entre capturar e registrar tempestades.

 

Isadora Mello, 2011

Créditos da Imagem: Wehearit

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *