2017,  Textos

Te colocar em escrito

Eu preciso colocar muitos pontos antes aqui em consideração, antes de começar.
Eu não sei porque estou fazendo isso, eu não tenho motivos.

E se para mim as lembranças são tão importantes, me obrigo aqui a escrever algo que no futuro não será uma memória assim tão boa.
E vai ser uma pena eu ter que carregar esse fardo.
Mas o que fazer quando tenho vontade de chorar, quando minha cabeça está a mil turbilhões e estou prestes a ficar louca?
Isso se eu já não estiver louca.
Eu já estou louca, eu sou louca,
Essa é mais uma entre as considerações.

Que pena que a maior parte dos registros que eu vou ter de você serão esses de dor, confusão e medo porque eu não fui capaz e não tive tempo para escrever as coisas boas (porque afinal eu estava vivendo-as).

Mas é o sofrimento que inspira, no final das contas.

Minha consideração é falar que eu te amo tanto, que isso me faz surtar e sofrer e a única maneira que eu terei agora para acalmar a minha mente, ter mais sossego na hora de dormir e me distrair para não precisar dormir é escrever.

Quem sabe assim eu consiga aclarar tudo e me acalmar, e achar refúgio, ajuda e resposta para minha própria teoria de simplesmente escrever o que eu estou pensando antes da minha outra teoria, a de ser engolida pelos próprios pensamentos realmente ocorrer?

E eu não consigo parar de pensar em você, e meu maior medo é o de te perder, apesar de estar aqui, tento me acostumar com a ideia, me preparar, não porque esteja para acontecer em pouco tempo.
Não, não, a gente ainda vai durar amor, mas a queda vai ser tão grande e meu coração estará tão dizimado que eu acho que eu serei capaz de morrer.

E digo isso porque já estou aqui a chorar, sempre a chorar, mesmo quando não acabou, mesmo enquanto você me ame.

Isso não acontece quando estou junto de você, é o meu único momento de plena paz;
então eu percebi que eu preciso encontrar essa paz também longe de você.

Me perdoa amor, porque é tentando fugir da minha loucura, que eu enlouqueço ainda mais.

Porque eu sou capaz de saber que esse é apenas um estágio de algo que só vai tender a crescer, e eu tenho um imenso potencial para essa loucura aumentar e se alastrar mais ainda. Eu não estou utilizando a minha capacidade total.

Eu tenho medo de que a solução seja dar um fim já agora, agora que já dói.
Fico na dúvida eterna entre aproveitar e exaltar todo o amor, ou me conter e me prevenir?

Há quanto tempo isso esta acontecendo comigo? Amar é sofrer, não é mesmo?

Meus maiores problemas são a insegurança, o overthinking (que não consigo arrumar tradução) e tudo relacionado a precipitação.

Não me leve a mal, o problema sou eu, estão todos em mim, e comigo.

Não é você, seu único problema é ser tão bom, e me perdoe quão tosco isso possa ter soado, e por você ser assim, o sonho do qual eu não quero acordar, que não seja tirado de mim.

O que eu vou pensar de tudo isso quando eu reler algum dia?

(espaços para essas considerações futuras)

Sei que o que estou fazendo aqui e agora de escrever é o certo, porque só de fazer isso uma dor que eu sentia em um canto da mnha cabeça, eu já não a sinto mais

Eu quero repetir aqui mais vezes do que o necessário

Sabe aquilo de eu precisar escrever? Aqui está, aqui é o motivo.
Não será sempre sobre mim mesma, ou você.

Mas o impulso é atingir essa calma, limpando minha cabeça, fluindo em palavras e lágrimas, perdendo a ansiedade de esperar, de procurar, de rever e reimaginar as cenas. Ficando em ciclos.

Eu preciso te colocar em escrito, mesmo que resumido, para que o que foi lindo, seja sempre lindo.

Porque se um dos meus medos é te perder, escritos sobre você serão intocáveis.

E eu sei que terei que resumir, que muito ficou esquecido ou perdido, que eu não saberei expressar tudo e colocar em palavras.

Mas eu preciso.

 

 

Por: Isadora Mello, 2017

Créditos da Imagem: Weheartit

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *