2019,  Textos

Pista, Ponto

Eu queria que eu não tivesse te estragado, que você não estivesse se fechando ou fugindo de mim.

Eu sei que você tem medo, eu sei pelo o que você tem medo.

Eu não te culpo, eu sou uma pessoa boa com você, isso me faz uma pessoa melhor.

Eu carrego os seus mesmos medos.

Mas será que eu podia jurar que eu já fui mais feliz? E por que não escrevi nesses e por esses momentos? Será que eu vou me lembrar disso?

Eu vejo tudo o que eu quero me lembrar e eu digo e repito para mim mesma esperando que isso surta algum tipo de efeito especial.

Eu te agradeço pelos dias que fui feliz como nunca, que pensei em você por todas as 24h do dia, que eu mal podia me conter de emoção porque eu sabia que eu ia te ver.

Mas onde está tudo isso? E por que tudo isso parece que acabou? É só por que já estava destinado a acabar? E então a gente se segura?

Eu sei que isso foi tudo o que eu secretamente pedi, mas que eu não realmente pensei que fosse acontecer, principalmente porque estou acostumada aos pensamentos do que eu quero me afastarem de realmente conseguir o que espero.

E mesmo assim, você foi melhor que qualquer plano que eu nem fiz, e eu não sei o que teria sido sem você. E mais do que você. Você me ensinou e me mostrou a mim mesma. Eu sei, eu sei o que eu pedi. Uma dose de esperança.

Alguém para me fazer voltar a acreditar no amor, alguém para me distrair, para voltar a me fazer sorrir e feliz, alguém para me fazer parar de chorar (alguém que não me fizesse chorar)

alguém capaz de me fazer ver, pelo o que vale a pena lutar e esperar, um bom motivo, alguém que viu tudo o que eu faço, tudo o que eu sou.

Sem esforço, sem eu precisar apontar, sem nem eu mesma perceber que faço, aquilo que eu simplesmente sou. Que me ame por isso, que pela primeira vez ame, porque se deixou conquistar.

E eu sei que eu chorei aquele dia à porta, porque eu sabia que se você pudesse, você ficaria comigo, mas nós não podemos… E me fez pensar em quem podia… Mas que escolheu não querer. Eu jamais me permitirei não ser a escolha de alguém.

Quem quer, quer sempre , quer de todas as formas, de corpo inteiro, toda hora, todo o momento, faz o possível, e o impossível.

Eu não posso querer nada menor do que isso.

Eu sei que aprendi milhões de coisas, não querer me encontrar em outra pessoa, não querer aspectos dela que sejam iguais aos meus, ela ser igual a mim,

como eu preciso perceber que todos nós pensamos, sentimos e agimos diferente, respeitar o tempo, o momento, a história, o outro.

Eu entendo melhor agora.

Eu vejo luta, esforço, vontade, presença. Eu não me sinto com medo ou insegura, eu sei confiar. Eu sei esperar.

Eu também quero meu tempo de solidão e silêncio, eu também me quero.

É bom pensar em outra pessoa, é bom não pensar em ninguém, é bom pensar em si. É bom não precisar fazer nada para ninguém a não ser para si mesma.

É bom finalmente parar para escrever tudo o que se acumulou pensando, mesmo com o que foi perdido e esquecido, mesmo o que não tem mais a intensidade e realidade para a comparação entre presente versus passado.

Não há nada que eu ame mais na vida do que escrever e viajar, e agradeço às bênçãos e às sortes, aos céus, por me resgatar, me salvar, me mostrar o caminho de mim para mim mesma.

Meu caminho de volta.

Obrigada pela pista tão iluminada do futuro.  Os sonhos, as inspirações, os sinais. Obrigada por me permitir pensar e sentir tudo isso.

Cada dia mais eu sinto, que me aproximo de um lugar, onde tudo vai se conectar e fazer sentido, toda a minha existência, tudo aponta para esse ponto. Tudo o que eu fui, até agora, e o que eu sou, e o que eu vou ser. A natureza é perfeita e o mundo é lindo. Agradeço por hoje poder entender,

por me esclarecer, me clarear.

Eu sou feliz, mesmo quando triste.

Ciclos, fins, começos, recomeços, movimento.

Onde estou, para onde vou, quem eu sou.

Isso sou eu.

 

Isadora Mello, 7 de março de 2019

Créditos da Imagem: Weheartit

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *