Textos

Espera

Tudo em relação a você foi uma perda de tempo, perda ou perca? Qual era a palavra mesmo?

De qualquer forma era algo que eu não deveria ter dúvidas, gramaticalmente e sentimentalmente também.

Demorei a perceber que eu amava você e que meu sentimentos passaram de gostar pra isso, acho que até demorei a notar você por si só, perceber que você era muito mais do que o engraçadinho da sala. Demorei a expressar os meus sentimentos , enrolei ate o meu alcance de que não era por você que o meu coração batia, tendo garotos aos quais eu dizia gostar pra te deixar com ciúmes, ou aqueles que eu simplesmente cedia um pouco de espaço, deixava eles passarem.

Eles vieram rápido demais e se foram na mesma onda.

Mas você, você não,

veio galante, veio certeiro, incômodo,

e ficou, permaneceu,.

A culpa não é só sua, eu também te queria ali, me acostumei com a doença, e não sabia mais ser saudável,

algo como um braço engessado que depois de muito tempo parece não mais fazer parte do seu corpo, ou um olho um pouco mais cego, ou um ouvido um pouco mais surdo, a gente só se acostuma

Algo como você, inofensivo no começo, mas que ao se alojar vai corroendo,

me deixando confusa e estressada,

demorando daquele jeito, um amor que não vingava, uma amizade desconfiada, uma amizade que só era amizade,

só não, admito, era tudo isso

E toda vez que eu tentava escapar do seu domínio traiçoeiro, vinha você com uma conversa mole, com um charme,

Era aquilo uma indireta? Era aquilo uma declaração?

É, você ainda tinha o peixe no seu anzol

Você demorou a me dar respostas, respostas claras, pelo menos,

E eu demorei demais esperando, esperando as respostas, os sinais, as razões, os sentimentos,

as certezas, as confissões,

esperando você …

E eu não esperei sozinha, é um amontoado de papéis que existem espalhados com o seu nome, diélogos que nunca aconteceram, declarações que só ficam no papel, histórias fictícias que não deram certo,

Histórias esperando o momento certo para se realizarem,

E sabe, eu não deveria ter esperado demais,

não digo que foi um desperdício de amores, de viagens, de sonhos, de vidas,

sempre aproveitei os passeios, sempre me permiti abrir o coração e dar valor para outros,

eu nunca abandonei os meus sonhos, eu nunca deixei de viver a minha vida.

Mas foi um desperdício de histórias,

acredite, elas eram

e seriam,

lindas…

 

Isadora Mello (2011)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *